As 16 Leis do Sucesso de Napoleon Hill

As 16 Leis do Sucesso de Napoleon Hill

Convidado por Andrew Carnegie, o rei do aço e um dos homens mais ricos de toda humanidade, Napoleon Hill dedicou mais de 20 anos de sua vida entrevistando e investigando a vida de grandes personalidades vitoriosas e suas carreiras de sucesso com o objetivo de encontrar pontos em comum entre eles. Andrew Carnegie tinha o desejo de identificar características de homens e mulheres de sucesso de maneira que fosse possível criar um espécie de fórmula de sucesso que qualquer pessoa poderia implementar desde que houvesse um método.

Nesta empreitada Napoleon Hill entrevistou mais de 16 mil pessoas entre elas 500 milionários dos mais importantes na época, que o ajudaram em seu projeto revelando suas atitudes, relações, em fim, a fonte de suas riquezas.

Napoleon Hill

Foto de Napoleon Hill
Napoleon Hill

Foi jornalista e consultor de relações externas da casa branca, além de ser o responsável por escrever os discursos do presidente Roosevelt. É o idealizador do projeto Master Mind e considerado como um dos primeiros autores de livros de auto-ajuda. Entre suas publicações mais famosas destacam-se “Quem pensa enriquece” e “A lei do triunfo” onde constam as 16 leis de sucesso.

 Tinha 25 anos quando entrevistou Carnegie e acabou por receber a proposta de realizar o projeto de descobrir a “fórmula do triunfo”.

 

As 16 Leis do Sucesso

1) Associação com outras pessoas com o mesmo perfil de pensamento

Napoleon Hill afirmava que a união de duas ou mais mentes gerava um todo que era maior do que a soma das partes, o que ele chamou de Master Mind – ou Mente Mestra.

Um forte fator em comum entre homens e mulheres de sucesso entrevistados por Hill, foi que todos tiveram de associar-se a outras pessoas para conquistar seus objetivos e essas pessoas mantinham o foco nos mesmos objetivos, tinham a mesma forma de pensamento. Ninguém consegue nada sozinho e estes vencedores entendiam muito bem isso.

2) Um objetivo principal definido

De nada adianta estar envolto de pessoas com o mesmo perfil de pensamento para conquistar um objetivo se você não souber que objetivo é este. Napoleon Hill constatou que seus entrevistados tinham um objetivo efetivamente definidos, sabiam exatamente aonde queriam chegar e planejavam-se para isso. Todo mundo diz querer mudar de vida, sair de onde estão, mas poucos, se perguntados, saberão responder o que realmente querem, o objetivo principal de vida.

Napoleon aconselha que se defina com bastante cuidado o seu objetivo, escreva-o e coloque-o em um local visível para pressionar a si mesmo a cumprir com o seu objetivo. Claro, que nos tempos atuais, você pode colocá-lo como lembrete no celular ou algo do gênero. O Importante é lembrar-se diariamente dele.

Vale observar que esta lei trata de ter 1 objetivo principal definido. Necessário saber focar em uma única coisa, olhar para um alvo e seguir até alcançá-lo. Um grande problema para a maioria seguir esta lei é justamente conseguir essa única definição.

3) A confiança em si mesmo

Como uma pessoa pode empreender um negócio ou ser um líder que as pessoas confiam, se ela mesma não tem segurança em si? Os entrevistados por Napoleon demonstravam forte confiança em si mesmas para resolverem problemas, mesmo que para isso fosse necessário recorrer a uma terceira pessoa. O importante é que eles tinham confiança em suas ações e de que iriam dar cabo de seus problemas.

Alguns questionamentos reflexivos podem ajudar neste ponto: Você compraria o que você tenta vender? Quando algo der errado você recorreria a si mesmo na confiança que irá resolver o problema? Você inicia um projeto já imaginado os louros do sucesso ou já pensando em todos os problemas e dificuldades que enfrentará e com medo de não achar meios de resolvê-los?

Se as respostas acima foram em sua maioria negativas, está na hora de acreditar mais em si mesmo.

4) O hábito de economizar

Outro ponto comum aos entrevistados era o conhecimento financeiro. Os homens e mulheres de sucesso da época tinham controle sobre seus gastos tendo sempre assim dinheiro para novos investimentos sem correrem grandes riscos. Sem economizar, não é possível vencer na vida. Não há exceção a essa regra é ninguém poderá escapar a ela.

5) Iniciativa e Liderança

Os entrevistados por Hill tinham um forte perfil de liderança. Pessoas que sempre tomavam a iniciativa, faziam acontecer e não esperava pela iniciativa alheia, ao contrário, motivavam outros a seguir com eles, tomavam o problema para eles e buscavam a solução o mais rápido possível.

Importante salientar que estas duas palavras estão profundamente ligadas. Ser líder é tomar a iniciativa, não esperar que aconteça, muito menos que outros comecem a fazer e motivar todos ao redor a caminharem juntos com a mesma iniciativa que eles veem em seu líder.

6) A imaginação

Pensar fora da caixa. Boa parte dos entrevistados precisou muitas vezes usar a imaginação para pensar em algo que não existia, para criar uma solução na qual ninguém pensou antes, criar coisas novas. Eles não focavam seus pensamentos nos problemas, mas sim buscavam imaginar as soluções. Devemos usar a imaginação para descobrir soluções e não gastar energia olhando para o problema.

7) O entusiasmo

O entusiasmo é o combustível que move os homens e mulheres de sucesso. Estes eram apaixonados por seus objetivos, já definidos, e isto despertava neles entusiasmo para seguir em frente, para acreditar quando todos não acreditavam, para ver positivo onde só existia negativo.

 O homem geralmente triunfa com mais facilidade num campo de esforços em que se lança de corpo, alma e coração.

Napoleon Hill

8) O autocontrole

É a balança com qual controlamos o nosso entusiasmo, dirigindo-o para onde desejamos. Ter autocontrole é ser líder de si mesmo, olhar a frente dos acontecimentos, saber tudo que o aproxima ou o afasta de seu objetivo principal. Não se deixar levar por qualquer fator que o desvie de sua meta. Ter autocontrole é estar no comando da própria vida.

9) O hábito de produzir mais trabalho do que é pago

Segundo Napoleon Hill, existem dois tipos de pessoas que não vão para a frente:

    Aquelas que não fazem o que lhes é pedido
    Aquelas que só fazem o que lhes é pedido

Se você não faz ao menos o que lhe é pedido você está abaixo da média. Caso faça apenas o que lhe é pedido, será apenas mais um, igual a todos. No entanto, se pensar a frente e fazer além do que lhe foi pedido, além daquilo que é pago para fazer, com certeza está acima da média. Não entenda isso como algo do tipo “faz tudo” ou “faz o dos outros”. Na verdade é ser o melhor no que você faz. Onde todos fazem de maneira igual, você também faz, mas com algo a mais, com eficiência, com capricho, ousar naquilo que faz, sem esquecer do auto controle. Ninguém se torna um verdadeiro líder, em qualquer setor da vida, sem adquirir o hábito de produzir mais e melhor trabalho do que aquele que lhe é pago.

10) Uma personalidade agradável

Os negócios são resultados diretos de interações humanas. Cultivar uma personalidade atraente é ser uma figura agradável, simpática e bem apresentada.

O assunto neste ponto não se trata de beleza e sim de comportamento, um comportamento agradável. Ser uma pessoa que as demais querem ter por perto e não a distância. Os entrevistados não só eram agradáveis, como eram agradáveis em qualquer ambiente, eles sabiam estar apresentáveis em qualquer lugar, fosse qual fosse o círculo de pessoas e neste ponto também podemos acrescentar conhecer bem o ambiente para saber que postura tomar e como se apresentar para aquelas pessoas de maneira agradável.

11) Pensar com segurança

Pensar com segurança é distinguir fatos de meras informações. Focar nas informações verdadeiras e não naquelas que nada agregam.
O objetivo é raciocinar dedutivamente, apenas com base em fatos comprovadamente verdadeiros, que possuam importância real e que sejam úteis de alguma maneira.

12) A concentração

Devemos fazer além do que nos é pago ou pedido a fazer, porém, uma coisa por vez. Ter concentração é estar focado no objetivo e afastar tudo aquilo que possam atrapalhar este foco. Focar a atenção sobre determinado assunto até que este esteja finalizado.

Quando tentamos resolver tudo ou olhar tudo que chama a sua atenção o resultado é nada resolvido ou tudo mal resolvido.

Quando está executando uma tarefa já procurou deixar o celular no silencioso? Eu disse silencioso e não no vibra call. Acredite, o Whatsapp e os e-mails podem esperar e as mensagens não se apagarão sozinhas, prometo.

A saída aqui é treinar a própria mente para pensar com exatidão. Técnicas de meditação e o hábito de lidar com apenas uma coisa de cada vez, com foco total, são úteis para esse tipo de treinamento.

13) A cooperação

A cooperação é o melhor caminho para a realização pessoal e coletiva. Isso inclui ver os concorrentes apenas como outros players do mercado, não como inimigos. Significa ver os funcionários não como escravos, mas como pessoas que estão colaborando para tornar o seu sonho realidade.

Aprender a cooperação é aprender a fazer uso de tudo que as outras pessoas aprenderam. Os entrevistados de sucesso entendiam não poderiam realizar nada sozinhos, por isso não somente buscavam cooperação como também buscavam cooperar.

14) Tirar proveito dos fracassos

Todas as pessoas que atingiram uma grande realização na vida, fracassaram algumas vezes antes. Na verdade, como diria Thomas Edson, aprenderam maneiras de “não inventar a lâmpada”.

O fracasso na verdade é um aliado, ele nos mostra o que não fazer e nos dá grandes lições para as próximas etapas. O grande ensinamento aqui é como tirar proveito não só do próprio fracasso mas também do fracasso dos outros.

15) A tolerância

Essa lição é irmã gêmea da lição sobre pensar com segurança, pois ninguém pode pensar com acerto sem praticar a tolerância. A intolerância torna inimigos aqueles que deveriam ser amigos. Destrói a oportunidade, e enche o espírito de dúvidas, desconfianças e preconceitos.

Ninguém no mundo consegue acertar tudo. Não é possível estar no controle de tudo e muito menos tudo dará certo todo tempo. O segredo é desapegar de querer controlar tudo, ter tolerância e paciência para ir acertando e errando até chegar ao ponto que se quer.

16) A regra de ouro: Fazer aos outros aquilo que quer que seja feito a você mesmo

É necessário perceber que todos – seres vivos e meio ambiente – somos uma única rede interdependente, ninguém consegue nada sozinho. Somos dependentes uns dos outros  e somos iguais. Todos temos sentimentos, gostamos de elogios, não recebemos muito bem as críticas, nos cansamos, desmotivamos, temos problemas, em fim, somos iguais. Portanto, se existe algo que você não goste que te digam, que façam a você, por que raios falará ou fará a outras pessoas? Isso não irá ajudá-las a te ajudar e nem a que todos consigam os seus objetivos.

Antes de tomar alguma atitude para com um pessoa pense e reflita bem sobre como você receberia isto se estivesse no lugar dela e como iria lidar com isso, muito provavelmente esta pessoa pode ter a mesma reação que a sua.

Tratar as outras pessoas como a si mesmo é um passo essencial importante para conquistar o sucesso.

O livro

Livro "A lei do triunfo" de Napoleon Hill
Livro “A lei do triunfo” de Napoleon Hill

Para quem quiser aprofundar melhor os estudos e conhecimentos sobre estas leis é recomendada a leitura do livro “A lei do triunfo”. Neste livro Napoleon Hill descreve um verdadeiro curso, baseado em suas pesquisas, de como ser bem sucedido.

O livro foi publicado em 1928, porém, seu conteúdo continua totalmente atual e é aplicado por milhares de líderes, homens e mulheres de sucesso até os dias de hoje.

Só no Brasil já foram mais de 200 mil exemplares vendidos. Sua leitura é mais que recomendada a líderes, empreendedores e qualquer pessoa que busca a evolução não somente profissional como também pessoal.