Alexander Lima

Programação, Marketing e o que mais eu puder ajudar ;)

O fim da neutralidade na internet e como isso afeta você

No dia 14/12/2017, a Comissão Federal de Comunicação dos Estados Unidos, ou apenas FCC, decidiu pelo fim da neutralidade na internet.

O órgão americano resolveu deixar de classificar a internet banda larga como serviço de utilidade pública no país. As operadoras, no entanto, só poderão limitar acesso do usuário dentro de, pelo menos, 60 dias, dependendo da data da publicação oficial da nova norma no Registro Federal, o que só deve ocorrer em 15 dias.

Além de manter você informado, entendo que é importante analisarmos como isso pode afetar o Brasil, já que a decisão foi nos Estados Unidos, e principalmente como isso pode afetar o seu acesso à Internet, meu amigo e minha amiga.

Por isso, continue lendo este artigo para não ficar de fora desse assunto e também para que possa formar a sua própria opinião sobre o mesmo.

O que é essa “Neutralidade na Internet”

Neste exato momento, enquanto escrevo este post, o Grêmio enfrenta o Real Madrid pela final do Mundial de Clubes. Se você não é torcedor do Grêmio e nem do Real Madrid, ou ainda, não torce para o Internacional, nem Barcelona, e nem é o “pachecão” do Galvão Bueno para ficar torcendo para time brasileiro, creio que para você, assim como eu, tanto faz, como tanto fez o resultado desse jogo.

Você não defende nenhum dos lados, você não está torcendo por ninguém. Até pode estar olhando para o jogo, mas não está vendo de fato, não interfere de forma alguma nele.

Você e eu, somos neste jogo, o que podemos chamar de neutros.

Tudo que você acessa na internet chega até a você através de provedores ou operadoras de internet.

Se você está em casa agora, lendo este post em seu notebook, utilizando o seu Wifi, o seu provedor de internet é a empresa que você paga, geralmente todo mês, para ter a internet (muitas vezes, essas empresas também fornecem o sinal de TV e Telefone).

Agora, se você está lendo em seu smartphone, utilizando o seu 4G, o seu provedor é a sua operadora de telefonia.

Todo este texto, e os comentários que fizerem nele, vão passar pelos provedores de acesso de cada pessoa que o acessar. Estes provedores possuem acesso a esse conteúdo, porém eles devem ser neutros a todo e qualquer dado de informação que passe por eles.

Eles não dizem se o conteúdo é bom, nem que é ruim. Não proíbem o acesso ou privilegiam o site A ou site B com mais velocidade. 

Os provedores devem ser totalmente neutros, como eu sou no jogo do Grêmio com o Real Madrid.

As operadoras, por lei, não podem interferir, ou tomar parte, no conteúdo que chega aos usuários de internet.

Quem decide o que você acessa ou não é você, e todo ou qualquer site ou serviço devem chegar até você com a mesma qualidade e velocidade, sem discriminações ou privilégios.

Como fica agora?

Com o fim da neutralidade na internet as operadoras passam a ter o poder de controlar aquilo que você vai ver e como vai ver na internet.

Elas não precisam mais serem neutras, sacou?

Será semelhante a uma TV por assinatura onde temos pacotes de canais. Um pacote tem canais mais básicos, outro tem canais de filmes, outro pacote, um pouco mais caro, tem canais esportivos, etc.

As operadoras poderão então controlar aquilo que vai chegar até você, assim como fazem as TVs por assinatura.

Por exemplo, elas podem fazer um pacote básico, com acesso apenas a redes sociais. Outro pacote com acesso ao Youtube, outro com acesso ao Netflix, e assim por diante. 

Ou ainda, elas podem privilegiar o acesso de um determinado site ao e-mail que você enviou para alguém.

Some a isso ao controle de velocidade no seu acesso. 

Se a operadora do seu vizinho tiver um acordo com a Netflix e a sua não, seu vizinho terá um acesso mais rápido e ainda de maior qualidade à gigante do streaming e você não.

Para ter acesso a todo conteúdo disponível na internet como temos hoje, teremos que pagar pelo pacote mais caro da operadora.

Tudo isso que citei são apenas exemplos e suposições. As operadoras é que ditarão as regras de como isso vai funcionar e o que elas vão disponibilizar.

Aqueles que defendem o fim da neutralidade, afirmam que assim poderão ter acesso a uma internet mais barata.

Por exemplo, se hoje você paga R$ 80,00 na sua internet, mas só acessa, praticamente, as redes sociais, poderia então assinar o pacote que só possua redes sociais, e então, passar a pagar, sei lá…uns R$ 30,00. Entendeu?

Com a votação pelo fim da neutralidade de rede, que foi imposta em 2015 por Barack Obama, a banda larga fixa nos EUA volta a ser considerada um “serviço de informação”, enquanto a internet móvel é um “serviço de interconexão”. Dessa forma, elas podem ser vendidas pelas empresas conforme o interesse do mercado.

Aqui no Brasil também?

A neutralidade da rede está protegida por lei aqui no Brasil, segundo o artigo nono do Marco Civil da Internet: ”O responsável pela transmissão, comutação ou roteamento tem o dever de tratar de forma isonômica quaisquer pacotes de dados, sem distinção por conteúdo, origem e destino, serviço, terminal ou aplicação”.

Porém, não se engane, não estamos em um mar de rosas.

Está cada vez mais raro alguém aqui em nosso país não ter pelo menos um conta no Facebook ou Instagram, fazer pesquisas no Google, ver e até mesmo gerar renda com vídeos no Youtube ou assistir a uma série no Netflix.

Adivinha por onde todos essas plataformas de conteúdo passam?

Lá pelo tio Sam! (Ou seria tio Trump??)

Além disto, as operadoras aqui do Brasil devem aproveitar e usar a decisão da FCC para criar um ambiente favorável a fim de que se reverta o Marco Civíl por aqui.

Algo do tipo: “Ohhh Governo, os americanos estão fazendo isso lá. Temos que fazer aqui também!!! Isso vai reduzir os custos, aumentar empregos, blá, blá, blá, blá, blá… ”.

Não podemos esquecer, inclusive, que algum tempo atrás já tentaram limitar o nosso acesso, neste caso a quantidade de dados utilizados (semelhante aos planos de celulares), aqui no Brasil, e só não colou por que o povo se revoltou e o governo voltou atrás. Pegou a ideia??

Para as operadoras voltarem a tocar nesse assunto agora com o governo é questão de tempo.

Em fim…

O fim da neutralidade na internet poderá afetar sim, não só o Brasil, como todo o mundo. Pode ser o fim de toda liberdade de expressão e especialmente de acesso ao conhecimento e melhor educação, que a internet conquistou até hoje.

Ok? Talvez eu esteja dramático demais. Talvez não será o fim de toda a liberdade de expressão e acesso a informação.

Não será o fim…mas pode ficar beeeeeeeeeeeeem mais caro.

Segue alguns links para você se aprofundar mais no assunto e poder formar melhor uma opinião.

E ai!? Qual a sua opinião? O fim da neutralidade na rede pode ser bom ou não? 

 Vamos debater o assunto nos comentários? 

Um foooorte abraço!

Criando uma Lista Suspensa no Excel

Um dos muitos recursos simples de se fazer e muito útil no trabalho com planilhas é oferecer um menu com opções do que pode ser preenchido em determinadas células. No mundo da programação este componente é chamado de combobox, mas no excel chamaremos de Menu suspenso ou lista suspensa. Veremos a seguir como proceder para criar estes menus nas células de uma planilha em excel.

1 – Insira os dados do menu

Em outra planilha ou em outro lugar da mesma planilha, insira os dados que deseja exibir no menu suspenso.

Dados para menu suspenso

Dados para Menu Suspens

2 – Selecione as células que devem exibir o menu suspenso

Fonte dos dados preenchidas, agora devemos selecionar onde queremos que os mesmos sejam exibidos para escolha.

Selecionando as células que exibirão o menu suspenso

Selecionando as células que exibirão o menu suspenso

3 – Acessando a Validação de Dados no Excel

Acesse a guia Dados, grupo Ferramentas de Dados, opção Validação de Dados e no menu suspenso exibido, Validação de Dados novamente.

"Dados

4 – Configurando a Lista Suspensa (Validação de Dados)

Na opção Permitir, selecione Lista. A opção Ignorar em branco, se marcada, não irá considerar possíveis células vazias que possam existir na fonte de dados que preenchemos no primeiro passo, caso contrário nosso menu suspenso exibirá as opções vazias. Já a opção Menu Suspenso na Célula, se marcada, irá exibir um seta para a seleção das opções disponíveis para a célula. Ou seja, criar um menu suspenso é marcar esta opção, caso contrário o Excel apenas validará o campo, não permitindo que sejam preenchidos outros dados se não aqueles que foram inseridos no passo 1.

Selecione Lista na opção permitir

Selecione Lista na opção permitir

Em Fonte clique no ícone destacado na imagem abaixo e selecione os dados que inserimos em outra planilha no inicio.  

Selecione o ícone no fim da caixa da opção Fonte

Selecione o ícone como na imagem.

Selecionando os dados que devem ser exibidos.

Dados a serem exibidos.

Uma caixa exibirá o endereço da fonte de dados.

Nesta caixa será exibido o endereço da fonte de dados.

A configuração deverá ficar semelhante a imagem abaixo.

Validação de dados configurada.

Validação de dados configurada.

Configuração realizada, basta ir na célula e observar que estas já exibem uma pequena seta ao lado direito que ao ser clicada permite selecionar as opções conforme os dados inseridos na fonte. Caso insira um dado diferente o Excel exibirá uma mensagem de erro e não permitirá que o mesmo seja inserido.

Utilizando o menu suspenso no excel

Utilizando o menu suspenso no excel

Para dúvidas ou mais informações é só comentar.

Até a próxima.

7 funções básicas do Excel que você precisa saber

Praticamente todas as profissões no mercado de trabalho atual exigem que você tenha um conhecimento operacional básico com computadores. Este conhecimento básico, acaba por abranger também o pacote de ferramentas Office, como o Word e principalmente o Excel. Porém, somente inserir dados, colocar bordas e fazer operações fundamentais como somar e subtrair não é suficiente. Para mostrar um diferencial no mercado o profissional deve conhecer e saber em que momentos usar estas 7 funções básicas do Excel.

Antes de dar início a lista com 7 funções básicas do Excel, vale ressaltar uma regrinha básica: Toda função deve ser iniciada com o sinal de igual (=). Isto posto, vamos a lista.

1) Soma

  • Estrutura:

=SOMA(Valor 1;Valor 2;Valor 3;…)

ou

=SOMA(Valor 1:Valor N)

  • Útil quando… for necessário realizar a soma de muitos valores, podemos dizer que mais de 3. Por exemplo, digamos que temos que realizar a soma dos valores que estão nas células D3, D4 e D5. Podemos realizar a operação de duas formas distintas no Excel.
    • Sem função: =D3+D4+D5
    • Com função: =SOMA(D3:D5)

    Reparem que a utilização dos dois pontos (:) facilitou o processo, porém, talvez tenha dado o mesmo trabalho digitar utilizando a função ou não a utilizando no caso acima. Por outro lado, se a soma fosse das células D3, D4, D5, D6, D7, D8, D9, D10, realizá-la sem utilizar a função seria bem mais trabalhoso. Vamos ver?

    • Sem função: =D3+D4+D5+D6+D7+D8+D9+D10
    • Com função: =SOMA(D3:D10)

    Agora já imaginou somar 100 células sem usar a função soma?

  • Exemplo:
Exemplo da função soma - 7 funções básicas do Excel

Realizando a soma das células B3 até B11.

2) Média

  • Estrutura:

=MÉDIA (Valor 1;Valor 2;Valor 3;…)

ou

=MÉDIA(Valor 1:Valor N)

  • Útil quando… necessário realizar a média entre dois ou mais valores. Semelhante a função soma, podemos e devemos utilizar os dois pontos (:) para calcular a média entre um intervalo de células informando somente a primeira e a última célula do intervalo.
  • Exemplo:
Média dos itens vendidos de D3 até D9 - 7 funções básicas do Excel

Média dos itens vendidos de D3 até D9.

3) Máximo

  • Estrutura:

=MÁXIMO(Valor 1; Valor 2; Valor 3;…)

ou 

=MÁXIMO(Valor 1:Valor N)

  • Útil quando… é preciso saber qual o maior número de um intervalo de números. Assim como as funções acima utilizamos dois pontos (:) para informar o intervalo passando para a função somente o primeiro e último número.
  • Exemplo:
Máximo de D3 até D9 - 7 funções básicas do Excel

Calculando a quantidade mais vendida com a função máximo.

+Plus+

A função máximo sempre retornará o MAIOR de um intervalo de números. Para saber o segundo maior, terceiro maior e assim por diante usamos a função MAIOR(). Esta função é muito semelhante a função máximo com a diferença que além do intervalo devemos informar também a posição deste maior que queremos.

  • Estrutura:

=MAIOR(Valor1:Valor N;Posição)

Na “posição” devemos informar 1 para o primeiro maior, 2 para o segundo maior, 3 para o terceiro maior e assim por diante.

 

4) Mínimo

  • Estrutura:

=MÍNIMO(Valor 1; Valor 2; Valor 3;…)

ou 

=MÍNIMO(Valor 1:Valor N)

  • Útil quando… é preciso saber qual o menor número de um intervalo de números. Ou seja, faz exatamente o oposto da função máximo.
  • Exemplo:
Mínimo de D3 até D9 - 7 funções básicas do Excel

Calculando a quantidade menos vendida com a função máximo.

+Plus+

Assim como temos a função maior para trazer o N maior número de um intervalo, de maneira semelhante temos a função MENOR(), que obviamente retornará o N menor número de um intervalo de números.

  • Estrutura:

=MENOR(Valor1:Valor N;Posição)

Na “posição” devemos informar 1 para o primeiro menor, 2 para o segundo menor, 3 para o terceiro menor e assim por diante.

5) Contar Valores

  • Estrutura:

=CONT.VALORES(Valor 1; Valor 2; Valor 3;…)

ou 

=CONT.VALORES(Valor 1:Valor N)

  • Útil quando… é necessário saber a quantidade de valores dentro de um intervalo. Neste caso, o excel entende como valores, qualquer conteúdo da célula, seja ele número ou texto. Podemos entender que esta função retornará a quantidade de células não vazias.
  • Exemplo:
    A1=40, A2= "Alexander Lima", A3 = 120. =CONT.VALORES(A1:A3) - 7 funções básicas do Excel

    Contar quantos valores existem no intervalo de A1 até A3.

    Resposta = 3 - 7 funções básicas do Excel

    O resultado da função será 3, pois temos 3 valores entre números e textos.

6) Contar Números

  • Estrutura:

=CONT.NÚM(Valor 1; Valor 2; Valor 3;…)

ou 

=CONT.NÚM(Valor 1:Valor N)

  • Útil quando… for necessário saber a quantidade de números dentro de um intervalo. Diferente da função para contar valores, a contar números retornará a quantidade de número em um intervalo.
  • Exemplo:
    A1=40, A2= "Alexander Lima", A3 = 120. =CONT.NÚM(A1:A3) - 7 funções básicas do Excel

    Contar quantos números existem no intervalo de A1 até A3

    Resposta = 2. - 7 funções básicas do Excel

    O resultado da função será 2, pois temos números apenas na célula A1 e A3.

7) SE

  • Estrutura:

=SE(Teste; Valor Se Verdadeiro; Valor Se Falso)

  • Útil quando… o valor que deve aparecer depende de alguma condição. Esta é uma das funções que muitos sentem dificuldade, porém ela não é tão complicada quanto parece. Para utilizarmos a função SE precisamos passar 3 informações.
    • Teste – Esta informação é um teste que o Excel realizará. O teste será apenas verdadeiro ou falso. Esta informação deve  ser indicada utilizando sinais de comparação, são eles: = (Igual), > (Maior), < (Menor), <> (Diferente).
    • Valor Se Verdadeiro – Caso o teste realizado no primeiro parâmetro seja dado como verdadeiro o Excel exibirá ou calculará o que for informado neste parâmetro.
    • Valor Se Falso – Caso o teste realizado no primeiro parâmetro seja dado como falso o Excel exibirá ou calculará o que for informado neste parâmetro.
  • Exemplo:
    Se méida >= 6, Aprovado, se não, Reprovado. - 7 funções básicas do Excel

    Se a média do aluno for maior ou igual a 6, deverá ser exibido o texto Aprovado, se não, deve ser exibido o texto Reprovado.

    Vale ressaltar que para exibir um texto, este tem que estar entre aspas, como na imagem acima, caso contrário o Excel entenderá como uma função ou nome de célula. Como não existe, no caso acima, nenhuma função Aprovado ou Reprovado no Excel, nem células com este nome, o Excel exibirá um erro de #NOME?.
    A função SE pode ficar bem mais complexa que isso, quando precisamos usar uma função SE dentro da outra. Porém, como este post trata de funções “básicas” vamos abordar isto em outro momento.

Dúvidas e ideias de postagem ou destas ou outras funções básicas do excel fiquem a vontade nos comentários.

Té +.

Erros INET – Firebird

Saiba mais sobre erros INET apresentados pelo log de erros do firebird. Estes erros são ligados a rede. Tenha acesso a uma lista com seus significados tanto para sistemas Windows quanto Linux.

Coleção de eBooks gratuitos da Microsoft

Eric Ligman, gerente de vendas da Microsoft, disponibilizou em seu blog mais de 100 eBooks gratuitos da micorsoft.
Os eBooks tratam das mais variadas ferramentas, sistemas e ambientes desenvolvidos pela microsoft.

Ligman fez uma primeira postagem com ótimos eBooks que ele considerava útil (jura?). Devido ao sucesso desta primeira postagem (óbvio), realizou uma segunda, totalizando assim em mais de 100 eBooks da Microsoft.

Para quem trabalha com ferramentas microsoft (provavelmente 95% do planeta rs), desenvolve em seus ambientes, pretende trabalhar ou tirar certificações microsoft, não pode perder essa oportunidade de conhecimento compartilhado.

eBooks Microsoft
Os eBooks estão divididos nas seguintes áreas.

  • Office & Office 365
  • SharePoint
  • SQL Server
  • System Center
  • Visual Studio
  • Web Development
  • Windows
  • Windows Azure
  • Windows Server

Estão disponíveis nos formatos PDF, XPS, EPUB, MOBI e DOC.


Sim amigos, ainda existem pessoas com a alma absurdamente bondosa neste mundo. Eu não poderia deixar por menos, seguir o exemplo do Eric e passar isso adiante, certo?

Conheça mais sobre ele (merece né?) acessando o site dele em ericligman.com.

O lado ruim (ou não) disso tudo é que todos os eBooks estão em Inglês, mas para quem realmente quer aprender mais isso não será impecilho, certo?

Clique nos botões a baixo para ir até a página e fazer o seu download.

Download do Material 1

Download do Material 2

Espero que seja de grande ajuda para todos, assim como está sendo para mim.

Dúvidas ou apenas dar um oi, deixe nos comentários.

Até a próxima!


Excel VBA – Tabela de cores da propriedade colorindex

A linguagem VBA utiliza dois comandos diferentes para colorir células, fontes, entre outros. Temos a propriedade Color que utiliza cores hexadecimais e a propriedade ColorIndex que utiliza 56 cores pré-definidas no VBA, acessadas por números como segue na tabela abaixo.

  1   29
  2   30
  3   31
  4   32
  5   33
  6   34
  7   35
  8   36
  9   37
  10   38
  11   39
  12   40
  13   41
  14   42
  15   43
  16   44
  17   45
  18   46
  19   47
  20   48
  21   49
  22   50
  23   51
  24   52
  25   53
  26   54
  27   55
  28   56

Podemos usar o próprio excel para criar esta tabela e consultá-la posteriormente. Segue um exemplo, no excel 2013, para montarmos a tabela acima, usando VBA.

[mc4wp_form id=”1795″]

Habilitando a guia desenvolvedor no Excel

Para iniciarmos nosso código, precisamos habilitar a área do VBA no Excel. Para isso basta habilitar a guia desenvolvedor caso a mesma não esteja aparecendo.

Guia desenvolvedor

Habilitando a guia desenvolvedor.

Em seguida clique em Visual Basic.

Visual Basic ComandoNa nova janela que se abrirá clique no menu Inserir > Módulo (figura abaixo).

Inserir > Módulo

Com isso estaremos criando uma macro.

Dentro do módulo digite o seguinte código.

Sub tab_cores()
    Dim i, j As Integer
    For i = 1 To 28
        Range("A" & i).Select
        Selection.Interior.ColorIndex = i
        Cells(i, 2) = i
    Next

    For i = 1 To 28
        Range("C" & i).Select
        Selection.Interior.ColorIndex = i + 28
        Cells(i, 4) = i + 28
    Next
End Sub

Feche a janela e retorne ao excel.
Na guia Desenvolvedor clique no botão Macros.

Botão Macros

Na janelá que abrirá aparecerá a nossa Macro. Clique em Executar.

Janela macro

Pronto. Nosso código será executado e a tabela de cores montada no excel.

No código criado, repare no seguinte trecho:

Selection.Interior.ColorIndex = i

Como estamos dentro de um For o valor de i assumirá valores de 1 até 28, estes valores serão recebidos pela propriedade ColorIndex, colorindo assim o interior da seleção no momento.

Caso fosse utilizado a propriedade Color deveríamos trabalhar com cores Hexadecimais, os números de 1 a 56 só serão executados como cores na propriedade ColorIndex.

Dúvidas? Fique a vontade nos comentários.

Até a próxima.

Excel – Funções Inglês x Português

Muitos alunos e profissionais que trabalham com Excel tem passado por esta dificuldade. Aprende o excel em portugês e na empresa usa o inglês. Pensando nisso, posto aqui uma tabela com uma relação das funções em português e o seu respectivo em inglês.

Mailpress – Alterando o texto dos campos no Widget

Para quem usa Wordpress e gostaria de ter uma Newsletter em seu blog/site, ou até mesmo ter uma ferramenta de e-mail marketing útil e gratuita, uma das melhores opções é usar o plugin Mailpress.
A ferramenta é bem completa e bastante utilizada por muitos sites e blogs.
No entanto, para aqueles que já utilizam pode surgir uma dúvida: “Como mudar os textos padrões que já aparecem no campos do Widget que vem no plugin?”. Tais textos não aparecem em arquivo nenhum daqueles disponibilizados no editor de plugin do Wordpress. Vejamos como fazer então.

Aprenda HTML – Introdução < Parte 1 >

HTML é a linguagem primordial da criação de sites. Não importa a tecnologia web, todas vão manipular e interagir com o HTML. Depois de muitas versões, sua última atualização foi chamada de HTML5. Todo profissional web deve ter conhecimento sobre a linguagem HTML.

Alterando o título da área de comentários no WordPress

Olá, tudo bem?

Esses dias passei por um problema no wordpress. Queria mudar o título da área dos comentários que por padrão vem como “Leave a Reply”. Pesquisei na internet , porém não achei muita coisa. Vasculhei todos os arquivos do tema e nada.

Decidi então passar o meu wordpress, que por padrão estava em inglês, para português ( clique aqui e saiba como ). Isso resolveu o problema em parte. O texto agora era “Deixe uma resposta” e eu queria outro texto.

Depois de muito pesquisar e analisar os arquivos percebi que essas configurações dos comentários se encontravam em um arquivo chamado “comment-template.php” e então tudo ficou mais fácil.

Vamos então ao que interessa.

Acessando o arquivo “comment-template.php”.

Esse arquivo faz parte da instalação do WordPress, e portanto, você não o encontrará no editor de arquivos do próprio WordPress. O acesso pode ser feito direto no servidor de hospedagem ou usando algum programa de conexão FTP como o Dreamweaver,  FileZilla ou WinSCP. O arquivo se encontra no seguinte caminho:

www/wp-includes/comment-template.php

Editando o código

Procure no código pelo trecho abaixo:

'title_reply'   => __( 'Leave a Reply' ),

Basta trocar o texto que está entre parênteses e aspas simples para aquele que você deseja. A variável “title_reply” recebe este valor e depois ela é colocada no código que faz parte do título do comentário.

Exemplo:

'title_reply'   => __( 'Deixe seu comentário' ),

Dúvidas? Deixe seu comentário ou entre em contato.

Até a Próxima!